Cursos e treinamentos ajudam servidores a salvar vidas

O ajudante de serviços gerais Eduardo dos Santos completou 46 anos no último dia 15 de maio, mas o presente ganhou dois meses antes.

Ele nunca mais esquecerá aquele 8 de março de 2021. Mais do que um presente antecipado de aniversário, neste dia nasceu de novo: agora tem duas datas para comemorar todos os anos.

Sem forças e quase desmaiando devido à hemorragia que não cessava após ter sido esfaqueado no braço, teve sua vida salva pelo guarda civil municipal Otávio Ferreira Ponciano.

Assim que chegou à ocorrência na casa da namorada de Santos e percebeu a situação, o agente municipal não teve dúvidas: com uso de torniquete e das técnicas aprendidas em cursos e treinamentos, conseguiu estancar rapidamente o sangramento.

“O guarda foi enviado por Deus para salvar minha vida. A ação rápida dele foi fundamental para que eu sobrevivesse. Não tenho nem como agradecer o que ele fez por mim”, disse Santos.

Momento inesquecível

Ponciano, que tem 27 anos e é guarda civil municipal desde 2019 , também terá sempre na memória aquela noite de março.

“Fiquei muito feliz de poder salvar uma vida. Foi um momento inesquecível, que não tem dinheiro que pague”, afirmou o guarda.

“É uma prova de que o conhecimento que buscamos no dia a dia não é em vão. Sempre será útil para servir a população”, completou.

GCM Ponciano: ação rápida e eficiente salvou vida

Capacitação

Para ampliar atuações que salvam vidas como a efetuada por Ponciano, a Prefeitura de São José dos Campos (SP) tem intensificado os cursos e treinamentos para capacitar os agentes municipais para ações em situações críticas.

Neste mês de maio a Administração municipal, por meio da Secretaria de Saúde, iniciou capacitação de 150 funcionários da Guarda Civil Municipal, Defesa Civil e Mobilidade Urbana, além de representantes da Polícia Militar, em curso para reconhecimento e contenção de sangramentos decorrentes de traumas até que as equipes de emergência cheguem ao local.

O treinamento teórico e prático foi ministrado pela equipe do Hospital Municipal em parceria com a Faculdade Humanitas nas modalidades on-line e presencial. Após as aulas, foram disponibilizados torniquetes para uso nas viaturas.

Mortes reduzidas

O principal intuito da capacitação é reduzir o número de mortes por estes sangramentos.

De acordo com o médico Marcelo Ribeiro Júnior, cirurgião-geral e de trauma do Hospital Municipal e responsável pela capacitação, 15% dos pacientes graves vítimas de trauma morrem por hemorragias nas extremidades como braços e pernas, complicação que pode ser evitada com a ação rápida de uma pessoa treinada.

“Pior e mais lamentável do que perder uma vida é perder uma vida que poderia ser salva. Cursos como este são fundamentais para os profissionais estarem capacitados para agir em situações críticas”, afirmou Ribeiro, representante do curso “Stop The Bleed” (Parar o Sangramento) do Comitê de Trauma do Colégio Americano de Cirurgiões do Brasil.

“Com conhecimento e o uso adequado do torniquete, estes profissionais podem auxiliar as equipes de emergência a salvar vidas”, completou (leia entrevista completa abaixo).

Quanto mais conhecimento e capacitação, mais chance de servir melhor a população e salvar vidas. Parando o sangramento, há esperança de sobrevivência e de futuro. É o que aprenderam Santos e o GCM Ponciano naquela noite de março de 2021, quando seus destinos se entrelaçaram. A vida deles nunca mais será igual.

Entrevista com o médico Marcelo Ribeiro Júnior

Cirurgião-geral e de trauma do Hospital Municipal de São José e representante do curso “Stop The Bleed” (Pare o Sangramento) do Comitê de Trauma do Colégio Americano de Cirurgiões do Brasil

Qual a importância do curso de estancamento de hemorragias para agentes públicos que estão na linha de frente?

A importância é muito grande, já que os agentes públicos, sejam eles guardas civis municipais ou representantes da Defesa Civil, da Mobilidade Urbana ou da Polícia Militar, são as pessoas que vão estar em contato direto com a população. Muitas vezes, são os primeiros a chegar aos locais onde existem vítimas que possam estar sendo acometidas por grandes sangramentos externos que podem ser tratados temporariamente com as medidas que são ensinadas durante o curso “Stop de Bleed”, que significa pare o sangramento.

Como estes conhecimentos podem salvar vidas?

Uma vez aprendendo a identificar quais são os problemas que podem levar o paciente à morte por sangramento e sabendo realizar manobras simples de contenção de sangramentos, estes agentes públicos podem aumentar a chance de sobrevivência de pessoas que poderiam morrer por perdas sanguíneas volumosas.

Qual a estatística de vidas salvas em casos de hemorragias, seja por armas de fogo, armas brancas e outros tipos, com a utilização das técnicas aprendidas no curso?

A gente estima que a principal causa de mortes em vítimas de traumas em todo o mundo está relacionada com perdas sanguíneas, que podem ser externas, como fraturas, amputações e ferimentos que causam grandes cortes com grandes perdas de sangue ou que podem ser por sangramentos internos, cujo tratamento é dentro do hospital. A gente estima que aproximadamente 15% das vítimas de traumas que morrem por hemorragias acabam falecendo por sangramentos externos que poderiam ser comprimidos.

Como estes conhecimentos podem ser multiplicados?

A multiplicação destes conhecimentos é feita à medida que as pessoas treinam. Nós vamos treinando cada vez mais pessoas para que possam trazer este benefício para a população.

Acompanhe mais notícias de São José dos Campos (SP) em nossas redes sociais. Instagram: @cidadaojoseenseoficial. Facebook: Cidadão Joseense.